Livro e HQ Dois Irmãos de Milton Hatoum

Li este livro e HQ por indicação da Tati Feltrin. Veja o vídeo da resenha que ela fez. Fiquei muito curiosa para conhecer esta história, até para saber o desfecho. A leitura do livro foi incrível e a descrição que o autor faz dos locais, nos dá a sensação de estarmos viajando por lá, por Manaus. Mas o que eu queria mesmo saber era como foi a relação destes irmãos, o que aconteceu com eles e o desfecho!

Tenho 3 irmãos, somos 4 filhos de uma mulher incrivelmente forte, porém de origem muito simples, sem estudo, vinda do Piauí quando muito jovem. Ela batalhou muito para que pudéssemos estudar, porém nos criou à sua maneira. No livro, o pai dos gêmeos deixa claro que não queria ter filhos, não queria dividir a atenção e o amor da mulher com as crianças. No caso da minha mãe, eu sentia como se fôssemos um fardo, que dávamos trabalho e despesas. Agora tenho certeza que isso foi motivado pelas dificuldades da época, pois atualmente minha mãe é amiga, atenciosa, nos dá apoio e amor.

Nós (os irmãos) nos damos bem. Somos muito diferentes uns dos outros, mas sempre buscamos a união. Sou a filha mais velha. Sofri demais e sempre tentei evitar que meus irmãos passassem pelo que passei. Sempre fico dando conselhos e direcionamento. Nem sempre eles ouvem, mas tudo é aprendizado e no fim, tudo sempre dá certo e temos o apoio uns dos outros. Todos crescemos bem, e tomamos nosso rumo, formamos familia… mas ainda hoje nos desentendemos, pois pensamos de forma bem diferente. Da minha parte, sinto um pequeno pré julgamento (cada um à sua maneira). Talvez por ser a mais velha, supostamente devo ser a mais forte, bem resolvida e nem sempre é assim. Tenho fragilidades, fico triste, deprimida, sou sensível e as vezes sinto falta da compreensão deles neste sentido.

Sou a primeira filha, logo em seguida vem o Marcio, a Márcia e por ultimo a Rita. O Marcio é bem reservado, dificilmente se abre conosco (as irmãs). Independente e bem resolvido, seus contatos resumem-se em compartilhar coisas bacanas que ele vê pela internet. A Marcia é muito atenciosa, bem família (tem marido, dois filhos, gatos, cachorros… kkk), é enfermeira (sempre recorremos à ela, quando temos algum problema de saúde!), é linda, cozinha muito bem, recebe bem, mas sempre puxa nossa orelha!!!  Já a Rita veio por ultimo, para arrasar e causar! Toda toda, linda, sensual, culta, bem resolvida e super sincera!!! Hoje lido bem com o excesso de sinceridade dela… mas já sofri tanto com isso. Nós (as meninas) somos mais unidas, nos falamos mais, nos ajudamos mais, é bem bacana.

Estes irmãos são pessoas que amo incondicionalmente, mas cada um de nós tem uma história para contar dos irmãos. Com certeza devo ter magoado eles em algum momento da vida, assim como me magoei com eles. Mas nada grave, nada tão pesado como a rivalidade entre os irmãos que vemos no livro. Aproveito a oportunidade para pedir perdão à eles, por algo que tenha feito (talvez sem saber) e que os tenha magoado.

 

Quanto ao desfecho do livro, gostei muito, mas é bem pesado. A rivalidade entre eles é angustiante. Eles inclusive gostam da mesma garota! Um é responsável e estudioso, outro é irresponsável e impulsivo. Um é protegido pela mãe e se torna rival do irmão de do pai. Este livro nos reserva muitas emoções e conflitos familiares. Há uma pessoa que trabalha na casa (Domingas), que faz um relato paralelo muito interessante e nos dá a sensação de como é viver à sombra de outras pessoas. Enfim, recomendadíssimo!!! Adorei ler o livro.  A HQ (História contada em quadrinhos) tem um traço lindo, ganhou prêmios, demorou quatro anos para ser produzida e só por estas razões, vale a leitura.

No mais, agradeço a Deus pelos irmãos que tenho!!! São bênçãos, não dão trabalho. Nos damos muito bem, nos admiramos e nos apoiamos sempre. Que assim seja por toda a vida!

E vocês? Como é a relação com os irmãos? Conte nos comentários. Bjs,

Comente
Anterior
Próximo
Deixe um comentário!