Metas para 2017… temos metas demais?

Todo final de ano, costumo fazer o mesmo ritual. Capricho na compra de uma bela agenda (Este ano estou usando um Planner lindíssimo da Paperview) e começo a listar as metas para o ano que se inicia. Sempre consulto a lista do ano anterior e observei que costumo copiar varias delas para a lista nova e isso acontece praticamente todos os anos.

Confesso que é uma delicia criar estas listas… mas por que as metas não são cumpridas? Fato é que desejar algo é uma coisa e fazer o que temos que fazer para conquistar aquele objeto de desejo é outra completamente diferente. E me pergunto: tenho metas demais?

Vou listar as metas que copiei do ano passado:

  • Comprar um anel de esmeraldas. Venho copiando esta meta de um ano para o outro fazem uns quatro anos! Sempre agendo para quando eu e meu esposo completamos anos juntos, mas não tem dado certo. É um desejo romântico, pois nos filmes e livros, as joias são cheias de significado!! Quero a minha Esmeralda! que será passada para a minha filha e assim por diante.
  • Poupar 10% do salário. Falho nesta meta todo ano! Mas desde que tive minha filha, tenho conseguido poupar o décimo terceiro e parte do valor recebido por férias. Não uso mais para pagar dividas, como fazia anteriormente.
  • Aprimorar o Inglês. Esta meta me segue desde meus 20 anos. Sempre acho que falta alguma coisa. Hoje tenho um excelente vocabulário, mas sinto que falta de desenvoltura e fluência. Então para este ano, desejo fazer mais leituras em Inglês e se possível, interagir com alguém que tenha o Inglês como língua mãe.
  • Ler mais. Este ano, mudei para: Ler 12 livros. Sigo duas booktubers que amo de paixão que são a  Tati Feltrin e a Juliana do Nuvem Literária. Estas me ajudaram a aprimorar meu gosto pela leitura. Fico até envergonhada desta pequena quantidade de livros que me propus a ler, mas o importante é cumprir. Já houveram anos em que sequer li um livro inteiro!!!
  • Progredir na carreira. Apesar dos meus esforços, tem sido tão difícil. Mas este ano me propus a buscar reconhecimento profissional.
  • Dormir mais. Sabemos o quanto é importante e apesar de tão simples, está cada vez mais difícil de cumprir.
  • Melhorar a alimentação. Metade da minha vida escrevo isso na agenda. Mas com a correria, a ansiedade, as cobranças do dia a dia… como é possível? Atividade física então? nem escrevo mais…

Pois é… venho copiando as metas acima de uma agenda para outra, sem conseguir cumpri-las. Isso é frustrante, mas é mesmo muito difícil. Requer planejamento, disciplina, determinação e foco. Tenho tudo isso, mas como sou ansiosa, sempre coloco tudo a perder. Acho que temos metas demais!!! Afinal, elas precisam ser conquistadas em meio ao dia a dia que é corrido e cheio de tarefas profissionais e pessoais.

Para este ano, vou tentar dividir minhas metas em partes menores. Assim, sempre que conseguir alcançar estas partes, me sentirei animada à prosseguir. Por exemplo: Vou marcar na agenda se consegui dormir meia hora antes do habitual. Mesmo que não seja o ideal, já vou estar bem aumentando esta meia hora de sono. Quando estiver habituada, tentarei dormir mais meia hora antes. Se tudo der certo, no final de alguns meses, terei conseguido atingir esta meta. E a meta seguinte será manter esta marca. Acho que vai funcionar.

Em relação à poupar, vou poupar menos de 10%. Tentarei iniciar com 1% neste mês e ir aumentando gradativamente até o final do ano. Assim, será mais fácil. E assim por diante. Além destas metas, segue abaixo as metas especificas deste ano, que se juntarão as anteriores:

Minhas novas metas são:

  • Escrever mais cartas. (Sempre escrevi bastante, mas acho que ando sem ter para quem escrever… ) Esta meta tem relação com um livro incrível que li no final de 2016 chamado Cartas Extraordinárias (Veja aqui uma resenha feita pela Tati Feltrin) Este livro reúne cartas incríveis, escritas em diferentes épocas, por famosos, anônimos e pessoas notáveis. Quem sabe, uma de minhas cartas não possa tocar pessoas no futuro!!!!
  • Não pagar mais juros. Estou firme e forte na minha reeducação financeira. No ano passado, consegui manter as contas mais ou menos no azul, mas paguei juros em vários períodos do ano.
  • Cancelar os cartões de crédito. Estes são ótimas ferramentas para gerir os gastos, mas não funcionam para mim. Sempre gasto além do planejado. Fica difícil resistir as tentações e os parcelamentos.
  • Fazer uma avaliação médica. Faço sempre o básico. Mas agora com 40 anos, preciso fazer exames específicos e levar mais a sério esta importante meta.
  • Fazer um curso. No final do ano passado, fiz um curso online da Thais Godinho, do blog Vida Organizada. Foi tão gostoso aprender coisas novas. Quero fazer isso todo ano.

As vezes dá a impressão de que sou descomprometida com minhas metas. Mas o tempo demora à passar, o dinheiro está difícil de ganhar, o custo de vida está alto, as despesas com minha filha só aumentam. A verdade é que tudo anda muito dinâmico. Nos cobramos mais e queremos tudo!!! Mas vou mensalmente revisando o que tenho feito para chegar aos objetivos que me propus e no final do ano, conto aqui o que deu certo ou não.

E você? Quais são suas metas para este ano? Qual delas você escreve todo ano e não cumpre? Divida suas experiências nos comentários. Bjs,

Comente
Anterior
Próximo
Deixe um comentário!